Reescrita das composições – 11.ºA /11.ºB

—Escolhe, de entre os teus familiares/ conhecidos/ figuras públicas, alguém que verdadeiramente admires e escreve um pequeno texto sobre essa pessoa, dando conta da tua admiração por ele/ela.

Escreve um texto bem estruturado (introdução, desenvolvimento, conclusão) de cerca de 100 a 120 palavras.

Sobre Arminda Gonçalves

Professora de Português da Escola Secundária Augusto Gomes em Matosinhos.
Esta entrada foi publicada em Z_2015-16Portefólio11.ºA/B. ligação permanente.

36 respostas a Reescrita das composições – 11.ºA /11.ºB

  1. Paula Cunha Pires diz:

    Título??
    A pessoa que eu mais admiro na vida é o Bob Marley, porque foi um homem que, apesar de ter feito algumas escolhas erradas ao longo da sua vida, sempre disse aquilo que pensava. Independentemente de ele ter entrado no mundo da droga, foi uma pessoa que sempre teve a sua filosofia de vida, lutando contra o racismo, deixando-nos várias frases da sua autoria que nos fazem refletir sobre o que ele nos tenta dizer. Bob Marley faz-nos pensar que não podemos levar a vida totalmente a sério, também temos que saber usufruir dela.
    A frase dele de que eu mais gosto é “Vocês riem de mim por eu ser diferente, eu rio-me de vocês por serem todos iguais”. É uma frase que nos faz refletir e nos faz chegar à conclusão de que não podemos ser todos iguais e que cada um tem a sua maneira de ser.
    Eu, sem dúvida, que seguirei as suas reflexões.

  2. Cláudia Cova diz:

    Alguém como tu … não existe
    O meu irmão, Pedro, é a pessoa que verdadeiramente admiro, é a minha fonte de inspiração e de proteção.
    Eu sempre vi o meu irmão como um exemplo a seguir, tanto a nível escolar como a nível desportivo e social. Ele sempre foi empenhado no que faz, sempre teve boas notas e um comportamento exemplar, também foi e continua a ser muito trabalhador e nunca desistiu dos seus sonhos. Por exemplo, faz um ano que o Pedro entrou para a faculdade com o objectivo de seguir engenharia informática, porém não foi seleccionado para essa turma tendo ficado em engenharia electrotécnica. Mas, não foi esse pequeno desvio no caminho do meu irmão que o fez deixar de perseguir o seu sonho. Ainda hoje ele vai para a faculdade e em casa, sempre que pode, estuda informática. O Pedro já criou e aperfeiçoou muitos programas informáticos, porque é isso que o meu irmão gosta e quer seguir numa carreira futura.
    Eu sempre tentei seguir as pegadas do meu irmão, porque eu sei que ele está a percorrer um percurso que o vai levar até à felicidade e com o suporte e ajuda dele eu também estou a conseguir, por isso é que o meu irmão é o meu herói.

  3. Diogo Fonseca diz:

    O Homem mais importante da minha vida
    Ele tem uma enorme força de vontade, coisa que eu tenho a menos. Exemplificando, ele já foi magro devido ao futebol. Teve uma lesão e teve de deixar o que ele gostava mais de fazer. Seguidamente engordou, mas teve uma enorme força de vontade para voltar a emagrecer.
    Em suma, ele é um marco importante na minha vida. Agora não consigo imaginar a minha vida sem ele.
    O André é a pessoa que eu mais admiro. Ele é o meu irmão mais velho e, como todos os irmãos, só quer o bem dos outros. Por exemplo, quando estou doente, ele leva-me ao médico.

  4. Daniel Mesquita diz:

    Os meus ídolos

    Bem, muito pensei em sobre quem escrever neste texto até que decidi falar em mais do que uma pessoa. Para mim era impossível escolher algum destes 5 pois são ídolos de maneiras diferentes.
    Os ídolos de quem escolhi falar são o Ronaldo, os meus pais e os meus avós paternos.
    Ronaldo é o meu ídolo no aspeto e quem tal como ele, eu quero atingir os meus objetivos de vida a partir do esforço e do trabalho. Admiro-o pois ele era uma criança sem nada que, com o seu esforço e dedicação, conseguiu ser o que é hoje.
    Os meus pais são para mim um exemplo a seguir. O meu pai por ter a personalidade mais forte que conheço, muitas vezes até forte de mais, mas isso faz com que ele consiga aguentar os problemas em casa, apoiar a minha mãe em todos os seus problemas e por ser um pai presente que nunca deixou que me faltasse nada. A minha mãe é um exemplo para mim, pois com a sua força e todo o meu apoio e o da família conseguiu ultrapassar todos os seus problemas de saúde e, embora por vezes ainda tenha recaídas, é uma lutadora e consegue voltar a ficar bem.
    Por fim os meus avós. O meu avô já morreu. Embora eu tivesse 5 anos quando ele morreu, ainda me lembro de imensos momentos só meus e dele. Ainda me lembro de ele dizer “lilaile” sempre que eu ia embora, de ele dizer à minha avó que eu e ele íamos às meninas e eu na altura não saber o que isso era. Mas, o que mais me marcou foi que, mesmo quando adoeceu, pois ganhou cancro na garganta, nunca mostrou o quanto sofria, sempre se fez de forte e nunca precisou que tivéssemos pena dele, apenas queria que o tratássemos como uma pessoa normal. Lembro-me também de uma vez, quando ele foi internado e eu o fui ver ao hospital. Embora ele tivesse muito mal, ele fez-se de forte só por eu ter ido lá e tentou mostrar ao máximo que estava tudo bem. Hoje sempre que penso nele, lembro-me do seu sorriso, é esse sorriso que eu quero ter sempre na minha vida. Daí ele ser o meu ídolo. Quero poder ser uma pessoa forte e feliz como sei que ele foi.
    A minha avó é o meu anjo na Terra, é o meu ídolo simplesmente pela pessoa que é. Quando o meu avô morreu, ela dizia que eu agora era o marido dela, por isso além de meu ídolo ela também é a minha mulher. Tem 70 anos e ainda sai ao Domingo com as amigas e trabalha um campo de imensas frutas e vegetais sozinha. Vai-me custar imenso, quando um dia a perder. Quem me dera que, quando chegar à idade dela, eu seja como ela, vivendo a vida ao máximo e fazendo aquilo que gosto.

    Daniel Mesquita Nº6 11ºB

  5. Rita Magno diz:

    A pessoa que…

    A pessoa que mais admiro neste mundo é a minha mãe. Ela ensinou-me as leis da vida,tornou-me na pessoa que sou mesmo com as dificuldades que teve e que passou, quando era jovem.
    Maria da Glória, minha mãe, minha conhecida, minha amiga e familiar é um orgulho e um exemplo de vida para mim e para toda a minha família. Porém, talvez, se não tivesse passado pelo o que passou, não se teria tornado uma pessoa forte, com inteligência e observadora das coisas que a rodeiam do dia a dia. A minha mãe só tem um defeito que nunca perdeu, ser mãe galinha. Contudo, este defeito é melhor que qualquer qualidade que ela possa ter.
    Resumindo, Maria da Glória sou a tua fã número um e mais que tudo, és o meu orgulho.

  6. Raquel Soares diz:

    “A pessoa que eu mais admiro”

    A pessoa que eu mais admiro é, sem dúvida, a minha mãe. Ela é o tipo de pessoa que eu gostaria de ser no futuro e uma enorme inspiração para mim. São muitos os motivos pelos quais ela me inspira e me faz sonhar.
    Desde pequena que ela se tornou independente e isso foi causado pelo facto de os meus avós a educarem assim, tal como à minha tia que é mais velha. A minha mãe começou a ajudar nas tarefas domésticas um pouco cedo e isso tornou-a uma pessoa muito autónoma.
    Mas, nem tudo na vida é fácil, e ela passou por alguns momentos menos bons, só que conseguiu superar graças à minha tia. Outra coisa que me admira na minha mãe é na maneira como ela luta pelo que quer e se empenha no que faz, criando assim um gosto.
    Teve uma infância bastante diferente da minha e sempre tentou que eu não passasse por certos momentos que ela passou. Basicamente, os meus avós não eram muito presentes a partir dos 10 anos de vida da minha mãe. E, apesar disso, ela sempre se esforçou para alcançar os seus objetivos e orgulhar os seus pais.
    Ela casou um pouco cedo, mas quer a minha mãe quer o meu pai já tinham a vida estabilizada. Mesmo, quando eu nasci, as coisas sempre correram bem, só que, como muitos pais, eles também passaram por algumas dificuldades. A minha mãe fez alguns sacrifícios para comprar coisas que eu precisava (tal como o meu pai) em alturas menos boas.
    Eu admiro-a imenso e espero poder ser como ela no futuro.

    Raquel Soares, nº 21, 11ºB

  7. Inês Santos diz:

    A pessoa que eu admiro

    Paulo Aguiar, vinte e sete anos, este é o meu exemplo, é a pessoa que eu olho, que eu ouço quando mais tenho dificuldades, quando eu mais preciso.
    O Paulo é um jovem que nem sempre fez o correto, que em pequeno não tinha tudo aquilo que queria, mas não deixava de ser uma criança feliz. É o meu ídolo, o meu ponto de reflexão e confiança é nele que eu encontro a maior felicidade em estilo próprio. Cresceu num bairro social rodeado de pessoas que faziam da droga a sua vida. Aos dezasseis anos, o Paulo deixou a escola e teve duas oportunidades, uma era começar a vender substâncias ilícitas pelo bairro e a outra era trabalhar no Burguer King.
    Pensando bem, vender aquelas drogas a outros não era muito difícil, era só entregar, receber e dar ao “chefe”, enquanto que trabalhar num espaço de fast food devia ser muito mais complicado. Bem, o Paulo olhou, pensou e no dia seguinte era funcionário num Shopping, não era o sonho dele mas foi o ponto de partida para o resto de todos os outros sonhos.
    Hoje, o Paulo é um excelente professor de dança, trabalha num centro de estudos no seu bairro, canta e tatua. Ele tem muitos mais sonhos ainda, e faz de tudo para os alcançar. É um verdadeiro lutador e por estes motivos ele é o meu exemplo de vida.

  8. Pessoa que mais admiro
    A pessoa que eu mais admiro e que mais se identifica com as características que a professora projectou no quadro é o meu pai.
    O meu pai foi a pessoa que eu escolhi, porque é um lutador, um guerreiro e trabalha arduamente para me sustentar a mim e ao resto da minha família . Também uma das razoes que me levou a escolher o meu pai para a realização desta actividade foi o facto de ele ser um homem muito forte e nunca desistir de nada . Ele já teve às portas da morte devido a um acidente muito grave que o meteu em estado de coma mas, como ele nunca desiste da vida, sobreviveu.
    Estas foram as razoes que me levaram a escolhê-lo para esta actividade.

  9. Nuno Miguel diz:

    O meu ídolo

    Hoje vou falar sobre uma pessoa que eu admiro muito, é uma das pessoas mais conhecidas em todo o mundo. Estou a falar de Barack Obama que, neste momento, é o presidente do país mais conhecido em todo o mundo, os Estados Unidos.
    Eu identifico-me muito com ele, porque ele trabalhou e esforçou-se muito para chegar ao que é hoje. O seu trabalho não é fácil, gerir um país como os Estados Unidos não é para qualquer um. Ele que é adorado por muitos e odiado por outros, consegue dentro das suas capacidades, contribuir para o melhor do seu país e do mundo.
    Em conclusão, um dia quero chegar a ser uma pessoa como ele, honesta e com os objetivos realizados na vida.

    Nuno MIguel, nº 19 11ºB

  10. Susana Maia diz:

    O meu ídolo

    A pessoa que e mais admiro é o Shawn Mendes, um cantor canadiano.
    Admiro-o e considero-o um exemplo, porque ele começou a sua carreira apenas a colocar vídeos de si mesmo a cantar numa aplicação chamada Vine e agora já é um sucesso mundial e já ganhou muitos prémios. Ele ainda está a subir na carreira, mas acho que ele tem muito potencial e que, um dia, vai ser muito mais conhecido do que é agora.
    Ele mostra-me que podemos sempre alcançar os nossos sonhos e que não devemos desistir nunca, mostra-me que, se quisermos muito uma coisa, devemos lutar para a conseguir, não importa o quanto custe. Ele é uma pessoa incrível, e é por isso que ele é o meu ídolo e eu o admiro muito.

  11. Vitor Ramos diz:

    O meu pai

    Uma das pessoas que eu admiro é um senhor chamado Vítor Ramos. Exatamente, com o mesmo nome que eu, mas 24 anos mais velho pois tem 41. Admiro-o muito porque ao longo da sua vida sofreu bastante. Perdeu pessoas das quais gostava imenso, nunca teve muito dinheiro e até chegou mesmo a bater no fundo. Sem a ajuda dos pais, sem emprego, e sem dinheiro conseguiu, mesmo assim, subir agarrando-se ao que tinha. Lentamente mas foi subindo! E é por isso que eu admiro ao máximo o meu pai. Não desistiu, depois de tudo o que sofreu e depois de levar tantas “chapadas” da vida (problemas pessoais), levantou-se e trepou as paredes do fundo do poço. E essa é, talvez, a coisa mais importante que eu aprendi com o meu melhor amigo (meu pai): a lutar e, principalmente, a não desistir.

  12. Daniel Almeida diz:

    A minha heroína
    Embora os meus pais sejam os meus heróis, eu escolhi a Catarina, que não só é uma colega de turma como também minha melhor amiga porque, para mim, ela é um exemplo a seguir. Ela já passou por muito, mas continua a sorrir.
    A Catarina tem o sonho de ser atriz, mas os pais não gostam dessa ideia e por isso dizem que ela pode não vir a ter sucesso. Contudo, ela nunca desistiu do sonho e luta tão arduamente para o conquistar, que se inscreveu numa agência e já foi chamada para um “casting”. Os pais já começaram a aceitar melhor a sua escolha.
    Para finalizar, eu considero-a uma heroína, porque ela nunca me deixa desistir dos meus sonhos, tal como ela não desiste dos dela. Mas, o que mais me motiva nela é que, apesar de tudo estar mal, a Catarina terá sempre o seu belo sorriso na cara que me faz adorá-la!

  13. Gonçalo Tato Macias Ferreira diz:

    Maurícia

    Maurícia é o nome de quem eu escolho como referência para minha veneração. Nome da minha avó, mais precisamente. Alguém que eu sempre admirei pelo seu incondicional humor misturado com a alegria que a faz ultrapassar todos os problemas duma vida deles repleta.
    Exemplificando minha apresentação usarei como caso real os almoços familiares. Estes bem demonstram minha intenção de a escolher pelo facto de que correspondem sempre aos melhores momentos dos meus dias, sendo que em tais ocasiões é que a nossa família se encontra toda junta e aí eu olho para minha avó conseguindo entender sua felicidade, que ela, de bom coração, encontra sempre mesmo numa vida repleta de lutas e desgostos.
    Em suma, desejo apenas reforçar que esta familiar é alguém que (desde que me lembro) sempre venerei e assim – para o futuro- farei incondicionalmente.

  14. Gonçalo Freitas diz:

    Um motivo de orgulho
    Eu escolhi a minha namorada, chama-se Ingrid , ela é brasileira e neste momento é a pessoa mais importante da minha vida. Além de me apoiar em tudo, ainda me inspira e é um exemplo para mim.
    Há duas situações que me fazem admirá-la imenso, não sao as únicas mas são as principais. Uma delas é o facto de ela ter vivido de perto a morte da avó, com cancro, de ir frequentemente visitá-la ao hospital e um dia receber a noticia de que a avó tinha falecido. Eu sei que foi um grande choque para ela, porque era uma pessoa muito próxima, mas, mesmo sendo, ainda, um assunto muito doloroso, ela conseguiu ultrapassá-lo.
    A outra situaçao tem a ver com a profissão do pai, que é piloto, e por isso já teve de mudar várias vezes de país. A Ingrid, quando começava a criar laços de amizade, ou mesmo a habituar-se ao local, mudava de novo de país. Mesmo neste momento, ela está em Portugal há 5 anos e nunca sabe quando mudará de novo de país. Isso é muito difícil, porque cria nela dúvida e instabilidade, até mesmo na nossa relação.
    Ela é muito importante porque, apesar de isto tudo, consegue ser genuina e estar sempre lá para mim. Consegue apoiar-me em tudo, por isso é o meu maior orgulho e o pilar da minha vida.

  15. Ana Sofia diz:

    Deixa a tua marca
    Num mundo em que dizemos não ter tempo para nada, inclusive de parar e olhar para o que nos rodeia, houve um homem que viu os jovens como cidadãos capazes de fazer a diferença.
    Baden Powel foi um célebre militar inglês e, como qualquer pessoa, também teve as suas lutas interiores e pessoais, mas não foram essas as vitórias que fazem dele um exemplo.
    Durante o cerco à cidade de Mafeking, Baden Powel reparou que os jovens tinham vontade de ajudar e começou a dar-lhes pequenas tarefas que foram realizadas com todo o sucesso. E por isso B.P. foi-lhes dando tarefas cada vez mais complexas. Fazendo-os crescer ao ponto que um dos seus rapazes, chegou mesmo a conseguir passar o cerco, pedir ajuda e a salvar a cidade. Depois de voltar para Inglaterra começou a escrever um livro que seria um manual de bons costumes – “Escutismo para Rapazes”.
    Para muitos, este honrado militar acabou por lhes mudar a vida. Passados anos a sua mensagem ainda perdura “Deixa o mundo um pouco melhor do que o encontraste”. E é isso que tento fazer. Deixar uma marca positiva nos outros e no mundo seguindo as pisadas do meu herói.

  16. Ana Catarina Guedes diz:

    O meu melhor amigo
    Quando me perguntam quem são as pessoas que eu mais admiro, imediatamente penso nos meus pais, irmão e melhores amigos. Mas, quando me vejo na situação de ter que falar só de uma destas, escolho falar do meu melhor amigo, Daniel. A razão desta escolha é fácil. Embora as pessoas que eu mais amo sejam aquelas com quem eu vivo em casa, decidi escolher uma amizade que é das mais importantes para mim, pois é ele quem me ajuda e me faz ver o que eu não consigo.
    O Daniel é um rapaz que se preocupa com os outros, mesmo tendo todos os seus problemas, arranja sempre tempo para saber dos meus problemas. Ele sabe basicamente tudo sobre mim, quando estou desanimada, porque um teste correu pior, ele tem sempre o que dizer para me fazer sentir melhor. Ou até mesmo se estiver ansiosa ou a pensar demasiado em alguma coisa, ele sabe sempre como me acalmar.
    Resumindo, o Daniel faz-me lutar pelo que gosto de fazer e nunca desistir dos meus sonhos e é por isso que eu o adoro!

  17. Beatriz Gonçalves diz:

    Che Guevara

    Para mim, o Che Guevara é um grande exemplo de vida. Porque, para além de ter desistido da sua carreira de médico, para salvar o país, digamos assim, era também um grande revolucionário. É uma pessoa que admiro muito, porque sozinho tentou fazer a diferença e conseguiu.
    Desde que entrei para a juventude do partido comunista que ele sempre foi uma boa referência para mim. Inspira-me a querer fazer a diferença também, quer comigo própria e na minha vida, quer no país, porque neste momento só a juventude é que pode fazer a diferença.
    Che Guevara é, e sempre será, um herói para mim.

    “Hasta siempre, Comandante”.

  18. Lúcia Rodrigues diz:

    Avô
    Para falar sobre este tema escolhi o meu avô, que é uma pessoa com uma força interior imensa, que me motiva em tudo… Quando eu falo em motivação, não falo apenas da motivação em relação à vivência dele, mas também devido ao facto de poucas pessoas com a idade dele fazerem o que ele faz todos os dias!
    Recordo-me perfeitamente da primeira vez que me contou a sua história: um pré-adolescente com os seus inocentes doze anos a embarcar num navio para emigrar para o Brasil, sem saber o que lá o esperara, começar do zero, sem família, entrar no desconhecido. Muitas vezes imagino como seria eu no lugar dele, ser posta num sítio onde as coisas enigmáticas imperam, ter de trabalhar para me sustentar e ainda mandar dinheiro para a minha mãe para que ela pudesse sustentar os meus irmãos… Se fosse eu, não teria nem metade da força.
    E depois de tudo isto, de esforços e mais esforços, parecia que o trabalho que ele tinha tido fora desprezível e ele teve de voltar para a sua terra natal e começar novamente do início até formar tudo aquilo que tem hoje.
    É por estes motivos e outros tantos que o meu avô é um ícone para mim, e muito provavelmente não conseguirei retribuir-lhe tudo o que jé fez por mim, mas espero pelo menos dar-lhe muitos orgulhos pela vida fora.

  19. Érica Filipa diz:

    O meu exemplo de vida.

    Para este trabalho escolhi falar do meu irmão, André, porque acho que é a pessoa que melhor se encaixa nos tópicos referidos.
    Bem, para começar posso dizer com toda a certeza que o meu irmão é a pessoa mais importante para mim, sempre foi um orgulho vê-lo lutar pelos seus objectivos e alcançá-los.
    Nunca tive uma relação muito forte com o meu pai e o meu irmão sempre fez esse papel na minha vida. O André sempre foi a pessoa que mais lutou e acreditou em mim. Quando eu não estava bem, era sempre ele que estava lá para me motivar a continuar e a fazer cada vez melhor, foi das únicas pessoas que sempre acreditou em mim. Nunca vi alguém com tanta força de vontade e, apesar de muitas vezes não mostrar, tenho imenso orgulho naquilo em que ele se tornou.

  20. Hugo Campos diz:

    A pessoa que mais admiro
    A pessoa que eu mais admiro é o meu avô, Fernando.
    Eu admiro o meu avô, porque já passou por muito na vida e lutou sempre de cabeça erguida para alcançar os seus objetivos e para, neste momento, ter uma vida estável. Um episódio da sua vida que me marcou para sempre foi quando andava a trabalhar em minha casa e caiu a uma altura de cerca 20 metros. Ele partiu as costelas e eu chorei muito, quando aconteceu isso, e ele disse-me que iria lutar para tudo aquilo passar rapidamente, para cuidar e brincar comigo e com o meu irmão, ao longo de muitos anos.
    Em suma, o meu avô é um exemplo para mim, pois acredito que tudo em que nós acreditamos será possível um dia, se nós trabalharmos para isso se concretizar.

    Hugo Campos Nº14 11ºB

  21. Ana Carolina diz:

    Ausenda
    A pessoa que eu escolhi chama-se Ausenda, tem vinte e poucos anos e estudou no colégio de Odivelas, pelo que viveu um longo período de tempo privada da família e dos amigos…
    Como consequência ela sentiu necessidade de procurar um apoio externo, e acabou por encontrá-lo ajudando os outros, abdicante de algumas “características” que hoje em dia estão bastante intrínsecas na vida das pessoas, como casar ou ter filhos…
    A Ausenda ajudou-me a ter outra visão da vida, do nosso dia a dia, e das pequenas coisas que nos podem fazer realmente felizes. Ela levou-me a acampamentos de grupos de jovens onde é animadora, pessoas que eu não conhecia de lado nenhum e que em apenas uma semana me marcam, encontrei então felicidade e espírito de entreajuda graças a ela e ao convívio com os outros. Definitivamente não seria a mesma pessoa se não a conhecesse…
    Um dia, também gostava de encontrar bondade genuína para me entregar aos outros como ela faz diariamente.

  22. Daniela Vinagre diz:

    Mãe

    A minha mãe, Albina Santos, é a pessoa que eu mais admiro na minha vida.
    A minha família já foi muito feliz até aos meus quinze anos, quando tudo se tornou mais complicado. A minha mãe não conseguia encontrar trabalho e o meu pai começou a ter problemas na fábrica onde trabalhava. Durante estes anos que se passaram eu vi muitas vezes a minha mãe triste, mas nunca me disse nada a mim nem ao meu irmão, porque não nos queria preocupar. De há dois anos para cá ela abriu-se comigo e contou o que se estava a passar, até hoje não sabemos o que é receber um salário ao fim do mês.
    Mesmo com todos estes problemas que temos passado, a minha mãe continua a ser uma pessoa feliz e determinada, a dar tudo que eu e o meu irmão precisamos mesmo que tenha que ser com o dinheiro que guardou ao longo dos anos para alguma emergência.

  23. Leandro Catalarrana diz:

    Irmã
    Eu escolhi a minha irmã mais velha, pois cresci ao lado dela e por isso somos muito unidos.
    Ela sempre me apoiou e se importou comigo e com a minha irmã mais nova. Apesar de ter passado momentos difíceis-“como ela se chatear com os meus pais e sair de casa por vontade própria”-, ela fazia de tudo para nos ver e passar tempo conosco.
    Eu admiro-a muito e quero seguir o exemplo dela e empenhar-me na escola e mais tarde no meu trabalho e ter gosto naquilo que faço.
    A minha relação com ela às vezes tem problemas, porque os nossos feitios são muito parecidos, mas resolvemos as coisas sempre.
    Eu amo a minha irmã e quero ser tão forte e empenhado como ela.

  24. João Guerra diz:

    A pessoa que mais admiro.
    Escolhi a minha mãe, chama-se Paula e nasceu em Angola. Devido ao emprego do meu avô, tiveram de se mudar e passadas umas semanas, ela nasceu.
    Gosto muito dela, acho que é a pessoa com quem passei mais tempo. Quando era mais pequeno, tinha dificuldades em adormecer e acordava constantemente e ela por vezes passava as noites acordada para ver se eu acordava e voltava a adormecer-me, fazia sempre tudo para eu estar bem. Não sei explicar os meus sentimentos por ela. Quando está triste, eu fico mais triste, se ela chora, eu também choro, odeio vê-la assim.
    Concluindo, sinto muito afeto por ela e farei tudo para ela se sentir bem, como ela fez comigo todo este tempo.

  25. Lia Castanho diz:

    Ele era.

    Ele era… Ele era um homem exemplar. Um homem que me fazia sorrir e que me ensinava tantas lições valiosas. Mas, no entanto, ele já não é o homem que eu admiro. Ele era…
    Quando as coisas se tornam difíceis, gosto de o imaginar como um pássaro, que durante a sua vida lutou contra enormes tempestades e predadores, e que, no final, enquanto enfrentava uma batalha, voou para longe. O meu avô ajudou-me a mim e a tantas outras pessoas, e é como dizem: “Não é o que fazes por ti que te torna quem és, mas sim o que fazes por todos aqueles que te rodeiam”.

  26. Inês Frasco diz:

    Presença de uma vida

    Eu escolhi uma minha antiga professora de contrabaixo que me acompanhou durante três anos e com quem continuo a conviver ativamente no meu dia-a-dia. Ela é, para mim, uma presença de mulher forte que me faz ver o positivo em todas as situações da vida.
    No primeiro ando em que a conheci já andava na música há quase três anos e esta professora foi a única que me fez realmente aprender a gostar do que fazia e entender a paixão que ela partilhava por isso. Ela acompanhou-me, a mim e à minha mãe, numa fase muito complicada para a minha família. Mesmo sendo apenas uma professora, deu-me força e um exemplo para toda a vida, tornando-se numa grande amiga. Acompanhei-a também enquanto lutava contra o cancro da mama com uma recém-nascida nos braços, vendo-a sempre feliz, talvez a pessoa mais feliz que eu conhecia.
    No fundo, gostava de ser como ela, ter a força que ela tem tido ao longo de toda a sua vida e passar as boas energias que ela sempre passa a toda a gente, inclusive a mim.

  27. Rafaela Moreira diz:

    Maior inspiração

    Para mim, a pessoa que eu mais admiro é a minha mãe, Noémia. Apesar de poder parecer injusto para com o meu pai, pois este também sofreu em certas alturas da sua vida, eu acabei por escolher a minha mãe por tudo o que ela significa para mim.
    Um exemplo de toda esta força que me motiva é o facto de, enquanto criança, Noémia assistir a cenas traumatizantes em sua casa. O seu pai usava a violência física para enfatizar o poder que todos os homens daquela altura deveriam ter em relação às suas mulheres e filhos.
    Depois de vários anos de corridas para casa da sua avó para escapar a toda esta violência, o seu pai decidiu sair de casa para viver com a sua amante. Esta situação foi apenas um alívio temporário para Noémia pois não teria de continuar a sofrer com o seu pai violento, mas por outro lado, viu-se obrigada a abandonar a escola e a ir trabalhar para ajudar a sua mãe, agora solteira, a sustentar-se a si e aos seus três filhos. Noémia assumiu também um papel de paternidade para com os seus irmãos, ajudando-os a crescer.
    Apesar de todas as batalhas que Noémia, a minha mãe, teve até ao dia de hoje, ela é a minha maior inspiração e posso até dizer que é a minha heroína.

  28. Carlos Costa diz:

    Memórias de uma vida

    Eu escolhi falar sobre o meu pai. É complicado ter de escolher entre ele e a minha mãe, pois admiro imenso ambos. A razão pela qual o escolhi foi porque ele representa para mim o que é um grande homem, tem um experiência de vida incrível, ajuda-me em todo o tipo de problemas. Por vezes, basta ele dizer três/quatro palavras para me “abrir os olhos” e também (é o que mais admiro nele) é uma pessoa que sabe de tudo.
    A vida do meu pai foi difícil logo de início. Ele nasceu em Angola num país que estava em plena guerra colonial e durante treze anos conseguiu sobreviver. Mas, para mim, o melhor foi que, mesmo assim, teve uma infância que eu desejaria, sempre se divertiu, fez desporto enquanto passava por dificuldades. Apenas com treze anos de idade veio para Portugal teve um irmão e essas dificuldades aumentaram consequentemente. “Fez-se à vida”, foi trabalhar para ajudar em casa, enquanto estudava e praticava desporto.
    Contudo, ele já é casado há 18 anos teve-me a mim e luta todos os dias para eu ter uma vida boa e, como ele diz, “para não passar o que ele passou”.

  29. Ricardo Silva diz:

    A minha mãe.
    Uma das pessoas que eu verdadeiramente admiro é a minha mãe. Ela chama-se Luísa, tem espírito de guerreira, e nunca me desapontou.
    Bom, eu admiro-a por vários motivos. Um deles é o fato de sempre ter confiado em mim para tudo e mais alguma coisa, e desde que sou pequeno, que sou o seu maior confidente. (ver TEMPO VERBAL? E sempre que precisasse dela, lá estava ela, não só para fazer o papel de mãe, mas como o de amiga.
    Repreende-me, quando tem de repreender, castiga, mas sempre de maneira a que eu perceba realmente o que fiz.
    Eu amo a minha mãe, é a minha melhor amiga. Se eu tivesse que escolher algo ou alguém sem a qual não consigo viverXXX seria, de longe, a minha mãe.

  30. Ana Dias diz:

    Segunda Mãe
    A pessoa que eu mais admiro é a minha avó. Se a puder descrever numa palavra, diria que é uma lutadora, um exemplo de vida, alguém em quem posso confiar e que não me irá desiludir.
    Foi com ela que aprendi a ser quem sou, a não virar as costas aos medos da vida e a seguir em frente. A ela lhe devo os meus valores e princípios, a vontade de sorrir e sonhar, quando a realidade a isso não me permite e dela me irei orgulhar para sempre.
    Apesar de, ultimamente, a vida lhe andar a pregar algumas partidas e a felicidade ter deixado de ser uma constante, muito devido ao estado de alzheimer avançado do meu avô, contínuo a agradecer-lhe por, apesar de ser quem mais sofre, ainda não ter desistido de si e de nós.

  31. Nuno Moreira diz:

    O Meu primo.
    Em toda a minha vida, passei por diferentes tipos de pessoas, umas com qualidades que eu apreciava outras que não. Mas houve sempre uma pessoa com quem sempre me dei bem nunca tive problemas com ela. Muita gente diz que é ou a mãe ou o pai, mas eu digo que é o meu primo. Chama-se Hugo, está na mesma escola que eu e tem 19 anos.
    Desde que éramos crianças, sempre estivemos juntos, quase como irmãos. Sempre tivemos os mesmos gostos e as mesmas ideias, mas claro com algumas diferenças, pois ninguém é igual a ninguém. Quando estamos juntos, andamos sempre contentes e nunca desiludidos um com o outro, ambos apoiamo-nos bastantes vezes.
    Não o considero como herói ou um sonho, mas é alguém que tem quase a minha idade, posso confiar e falar sobre coisas mais privadas. Não somos irmãos, mas agimos como se fÔssemos.

  32. Filipa Couto diz:

    Mãe

    A minha mãe ,Isabel, é a pessoa mais importante que tenho na minha vida, pois é uma guerreira e, apesar de tudo o que passou,continua forte e de cabeça erguida.
    Eu orgulho-me imenso da mãe que tenho. Ela tem uma doença chamada Hepatite Auto-imune, que faz com que não produza tantas imunidades como devia. Quando eu tinha seis anos de idade, ela foi internada no hospital para retirar a cauda do pâncreas devido a um tumor maligno. Esteve hospitalizada durante dezoito dias e levou quarenta agrafos na barriga. Como a nossa situação financeira era difícil, a minha mãe ao fim de um mês de ter sido operada foi trabalhar para não me faltar com nada.
    Em suma, por esta e por mil e uma outras razões a minha mãe é uma heroína para mim!!

  33. Ana Alves diz:

    FORA DE PRAZO
    A pessoa de que mais me orgulho
    A pessoa que mais admiro é, sem dúvida, a minha mãe porque, apesar dos obstáculos, nunca desistiu de lutar pelos seus objectivos. Sempre foi uma pessoa determinada e lutadora que, apesar das dificuldades, alcançou tudo o que queria.
    Com 18 anos sofreu uma grande mudança com a sua entrada na faculdade de Direito de Lisboa e, como os meus avós não lhe puderam pagar os estudos, ela teve de trabalhar e estudar ao mesmo tempo. Orgulho-me muito dela, não só pela pessoa empenhada que é, mas também pela excelente e solidária que é, sempre pronta a ajudar os outros. Agradeço por tudo o que me incutiu até hoje e agradeço por me tornar a cada dia que passa uma pessoa melhor e mais culta.
    É, sem dúvida, um exemplo a seguir para mim e espero poder concretizar todos os meus objectivos tal como ela fez.

    Ana Alves nº1 11ºB

  34. Ana Miguel diz:

    FORA DE PRAZO
    Admiração
    Uma pessoa que verdadeiramente admito é a tatuadora Hannah Snowdon.
    Um dos muitos motivos para eu tanto admirar esta pessoa é o facto de ela, quando tinha a minha idade, ter sofrido muito com depressão e ansiedade e nos dias de hoje ser uma mulher completamente diferente. É uma pessoa feliz e bastante positiva que, através das redes sociais, espalha o amor, a felicidade e a positividade para que todas as pessoas que a admiram sejam felizes, porque como ela diz por mais difícil que seja, todos nós conseguimos ser felizes.
    Com esta pessoa maravilhosa aprendi a lutar contra a tristeza e a não desistir dos meus sonhos.

  35. Lélio Noronha diz:

    FORA DE PRAZO
    A CORRIGIR!!
    “Um ombro amigo”

    Uma das pessoas que eu mas admiro e o meu pai.
    O meu pai porque?
    Eu admiro-o muito, pois ele já passou muitas fazes difíceis na sua vida.
    Quando o meu pai era apenas um jovem, perdeu todas as pessoas que realmente admirava, desde o seu pai, o seu avô e os seus tios.
    Essa altura da sua vida foi devastadora para ele, porque as pessoas com que ele se identificava e passava o tempo faleceram.
    Com 30 anos o meu pai soube que tinha seis hérnias discais, duas na lombar e quatro a cervical.
    Já conta com três operações desde então e desde sempre que me lembro de o meu pai não poder jogar a bola comigo, andar de bicicleta e muitas outras coisas que de certeza adoraria fazer comigo.
    Também desde sempre vejo o meu pai passar por muito, com bastantes dores, não há um dia que ele diga que não sente dores.
    Admiro-o por ser um guerreiro, pois ele nunca desiste e sempre lutou para conseguir ir mais longe e ser melhor a cada dia que passa e sempre trabalhou dia e noite para me poder por comida na mesa e me poder dar algumas das coisas que preciso, tendo muitas vezes de abdicar de coisas que queria obra me poder dar o que eu precisava.
    Eu admiro-o simplesmente por tudo o que ele significa para mim e por tudo o que ele tem feito para me fazer Feliz.

  36. Francisca Lopes diz:

    FORA DE PRAZO
    Tia Sónia Granja
    A pessoa que mais admiro é a minha tia Sónia. A minha tia é a pessoa mais lutadora que conheço pois, apesar de todas as dificuldades que teve na vida, nunca desistiu e arranjou sempre forma e as ultrapassar.
    Quando a minha tia tinha apenas dez meses de idade, a minha avó faleceu de cancro no estômago, por isso a minha mãe é que cuidou dela. Dois anos depois, a minha mãe casou e mudou-se para uma nova casa com o meu pai e com a minha tia.
    Desde cedo a minha tia estabeleceu objectivos para a sua vida e batalhou por eles. Conseguíu tirar o curso que pretendia com distinção e começou cedo a trabalhar. No amor não teve muita sorte, apenas agora com trinta e nove anos encontrou uma pessoa digna do seu afecto e concretizou o sonho de ser mãe.

    Francisca Lopes Nº12 11ºB

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s